Páginas

17 maio 2012

Sobre estudar e trabalhar


A maioria das pessoas que estudam de noite é porque trabalham durante o dia. Passam o dia inteiro fora de casa, não tem tempo de estudar para provas e muito menos de fazer trabalhos para apresentar. Para facilitar, os colégios poderiam padronizar o método de ensino, ao invés de continuar da forma desorganizada que está. Desse jeito, muitos alunos não iriam desistir por causa da bagunça que se torna o método atual de avaliação, tenho consciência que muitos desistem por outros motivos e não exclusivamente por causa do modo avaliativo, mas continua sendo um dos motivos. Um professor te avalia fazendo 2 provas e 1 trabalho e por último dá a prova de recuperação, o outro não dá prova e nem trabalho, só olha o caderno. E se padronizassem, fizessem polígrafos com a matéria que será dada no trimestre para a pessoa ir estudando? Não precisa ser só pro turno da noite e sim para todos os turnos em todas as escolas? Talvez fosse bem melhor do que o jeito que está agora. Uns fazem, outros não fazem, as notas ficam defasadas e o aluno preocupado se irá passar ou não e se o ano será perdido. Não são todos os alunos que tem a facilidade de falar em público e/ou tempo o suficiente para fazer trabalhos. Então todos dão o mesmo discurso de que ninguém será o último nem o primeiro a estudar e trabalhar ao mesmo tempo e que a vida é assim. E é por isso mesmo que as coisas poderiam ser mais fáceis, tanto pra mim quanto pra vocês que fazem a mesma jornada, uns com serviços mais fáceis e outros mais difíceis que exigem esforço físico e/ou mental. Infelizmente, não vai ser esse texto que vai fazer tudo mudar, mas tinha que expressar o que penso sobre. Até porque, eu trabalho no turno tarde/noite e estudo de manhã e é difícil conseguir estudar para as provas, fazer trabalhos, etc. Como em tudo na vida há sacrifícios, nessa situação não seria diferente. Que venham os benefícios!

5 comentários:

PP disse...

oi!
amo suas postagens e seu blog.
sempre que posso dou uma passadinha aqui!
mas hj vim aqui mesmo para t convidar a ver
uma nova postagem q fiz. é uma entrevista com
o mauricio de sousa, criador da turma da
monica!
olha só:
http://oblogdapp.blogspot.com.br/2012/05/oi-gente-tudo-bem-me-desculpem-pela.html
se gostar pfv comenta...
e se gostar mt mesmo segue XD (ok, agora to abusando!)
beijinhos, depois comento mais aqui ok?

Juliana Marques disse...

Acho que a educação brasileira precisa muito de uma reforma. Porque do jeito que as coisas estão, se demorar mais um pouco vai impossível concertar. Trabalhei durante o colegial e foi difícil. Os professores faziam pouco caso de quem trabalhava, eram péssimos professores e ainda queriam exigir direitos com o governador. Olha, sou super a favor de greve para os professores... porque só assim as coisas mudam pelo menos um pouco, mas tem alguns professores que nem ter essa profissão deveriam ter.

Camila disse...

Tô na mesma... A vida acadêmica tá um Deus nos acuda!

Não bastasse tudo isso, ainda tem os estágios, fora da cidade e com funcionamento de segunda a sexta. Precisei sair do trabalho por um tempo, agora é correr atrás de todo tempo que não tive e depois, voltar a trabalhar...

Boa sorte na jornada, força que a recompensa vem.

Vanessa disse...

Bom, entendo seu ponto de vista, mas não sei se concordo em padronizar as formas de avaliação. Até porque assim como cada aluno tem seu ritmo, cada turma é uma turma diferente e cada disciplina tem uma dinâmica diferente. Já não basta a padronização forçada que a escola impõe em outros setores?

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

Realmente o ensino médio,está bastante desorganizado.
Pois cada professor age de uma determinada maneira, fazendo com que os alunos tenha que se adaptar a algo, sendo que nem sempre é possível, pois o pessoal que estuda/trabalha deveria haver, um ensino padronizado como você disse, eu sei porque tenho sobrinho, que faz o ensino médio de noite e outros que desistiram. Eu por a questão do rodar um ano, peguei essa nova era do ensino politécnico, que diminui a quantidade de aula e que sinceramente este Seminário Integrado, algo do gênero, é algo que nem os professores sabem direito e que estão tendo que aplicar, mas sem saber ao certo a finalidade.